sábado, 28 de julho de 2012

1972 - Lô Borges

Oi pessoal! Neste sábado de sol, trago aqui no Blog um disco de um cantor ainda inédito por aqui, do mineiro Salomão Borges Filho, também conhecido como Borges. Com apenas 19 anos, integrou o grupo de músicos (em sua maioria de mineiros) liderado por Milton Nascimento e que juntamente com o irmão, Marcio Borges, Wagner Tiso, Beto Guedes, Túlio Mourão, Fernando Brandt, Toninho Horta e Ronaldo Bastos, gravou em 1972 no Rio de Janeiro, o antológico disco "Clube da Esquina", o qual impulsionou as carreiras do próprio Borges, Wagner Tiso, Beto Guedes, Toninho Horta, entre outros. Este movimento musical ficou conhecido pelo nome dado ao disco, "Clube da Esquina", e que se origina da esquina entre as ruas Paraisópolis e Divinópolis, no bairro de Santa Tereza, em belo Horizonte, lugar marcado como ponto de encontro deste grupo de músicos. Logo após o lançamento do disco "Clube da Esquina" e o repentino sucesso de público e crítica, Borges grava pela Odeon o seu primeiro disco solo, tema da postagem de hoje. Apesar de contar com apenas 20 anos de idade, Borges mostra neste trabalho o talento de um jovem músico, colocando toda sua criatividade musical nas 15 músicas deste disco, as quais merecem destaque: "O Caçador", "Canção Postal", "Homem da Rua", "Faça Seu Jogo", "Você Fica Bem Melhor Assim" e "Não Se Apague Esta Noite". Um disco fantástico, um disco que mostra o talento de um compositor e cantor que, desde cedo, soube mostrar sua música, a música de Minas, a música do grupo do Clube da Esquina.

1 - Você Fica Bem Melhor Assim
2 - Canção Postal
3 - O Caçador
4 - Homem da Rua
5 - Não Foi Nada
6 - Pensa Você
7 - Fio da Navalha
8 - Pra Onde Vai Você
9 - Calibre
10 - Faça Seu Jogo
11 - Não Se Apague Esta Noite
12 - Aos Barões
13 - Como o Machado
14 - Eu Sou Como Você É
15 - Toda Essa Água

Um comentário:

  1. SER CRIANÇA

    Quero voltar a ser criança
    Correr pelos campos
    Sujar-me com a pureza da terra;
    Banhar-me nas águas da cachoeira
    Conectar-me com a linguagem do mundo
    Traduzindo-o em brincadeiras.

    Quero dialogar com a minha infância
    Descobrir-me em sua rebeldia oculta
    O cúmplice de uma revolta sem feridas

    E titubear sílabas de ordem.

    Quero voltar a ser criança
    Para reconhecer em cada rosto
    Um gesto de bondade.
    Caminhar pelas margens de um rio
    E medir seu mistério;
    Deixar que a chuva molhe minha alma
    Enquanto meu corpo sacia-se em liberdade...


    * Agamenon Troyan

    ResponderExcluir