domingo, 10 de novembro de 2013

2013 - Vanessa da Mata Canta Tom Jobim

Oi pessoal! Neste domingo ensolarado de novembro, trago aqui no Blog da Música Brasileira um dos melhores discos do ano, em que a cantora matogrossense Vanessa da Mata homenageia o eterno maestro Tom Jobim. Gravado em julho pela Sony Music, o disco traz 16 das 23 músicas da turnê "Nívea Viva Tom Jobim", em que a cantora percorreu o Brasil divulgando a obra e a genialidade deste grande compositor, músico e pianista carioca. Quanto à cantora, Vanessa da Mata nasceu em Alto Garças (MT) e, aos 14 anos, deixou sua cidade natal para se dedicar ao vestibular de medicina e à música. Já em Uberlândia, no ano seguinte, Vanessa faz sua estreia em bares da cidade mineira, cantando um repertório variado que ia de Reggae a MPB. Em 1992, Vanessa deixa Minas e se muda para São Paulo, para ser integrante do grupo feminino Shalla-Bal, este dedicado à música Reggae. Três anos mais tarde, Vanessa integra a banda jamaicana Black Uhuru e o grupo de ritmos regionais Mafuá. Em 1997, Vanessa conhece o cantor Chico César, com quem começa a compor. Uma das suas composições ao lado de Chico César, "A Força Que Nunca Seca" se transformou na primeira grande expressão musical do talento de Vanessa, ao ser escolhida por Maria Bethânia a fazer parte do seu disco gravado em 1999, o qual levou como título a música de Vanessa e Chico. No ano seguinte, a também baiana Daniela Mercury lança o disco "Sol da Liberdade", o qual traz a primeira composição solo de Vanessa, "Viagem". Em 2001, Maria Bethânia lança em seu disco "Maricotinha" a segunda música de seu repertório com a composição de Vanessa da Mata, "O Canto de Dona Sinhá", que conta com a participação de Chico Buarque na versão ao vivo. Neste mesmo ano, Vanessa estreia a parceria com a mineira Ana Carolina, com a música "Me Sento Na Rua", incluída no disco "Ana Rita Joana Iracema e Carolina". Em 2002, Vanessa lança seu primeiro disco pela gravadora Sony BMG, "Vanessa da Mata", o qual alcança grande repercussão com as músicas "Nossa Canção" (Luiz Ayrão) e "Onde Ir" (Vanessa da Mata), integrantes das trilhas sonoras das novelas "Celebridade" e "Esperança", respectivamente. Dois anos depois, Vanessa lança seu segundo disco, "Essa Boneca Tem Manual", sendo este muito bem recebido pela crítica e que trouxe os sucessos de "Ainda Bem" e "Ai ai ai", ambas de Liminha e Vanessa da Mata, "História de Uma Gata", de Chico Buarque, Luis Enriquez Bacalov e Sergio Bardotti, e "Não Chore Homem", da própria autora. Em 2006, a cantora recebe o Prêmio Multishow de Melhor Música com "Ai ai ai", onde a música torna-se a música nacional executada nas rádios e o disco "Essa Boneca Tem Manual" rende à cantora seu primeiro disco de platina. No ano seguinte, Vanessa lança seu terceiro disco, "Sim", o qual trouxe mais um grande sucesso de sua carreira, "Boa Sorte", composta e gravada com o músico estadunidense Ben Harper. Em 2008, Vanessa conquista o Grammy Latino, na categoria Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro e o seu segundo Prêmio Multishow de Melhor Música, desta vez com "Boa Sorte". Em 2010, Vanessa lança seu terceiro álbum de estúdio, "Bicicletas, Bolos e Outas Alegrias", que trouxe como destaque as músicas "O Tal Casal", "As Palavras (trilha sonora da novela Morde & Assopra) e "Quando Amanhecer", em parceria com Gilberto Gil. No carnaval de 2012, Vanessa entra na Sapucaí pela Portela homenageando a cantora Clara Nunes, num desfile em homenagem à Bahia. Em fevereiro de 2013, foi confirmada que a segunda edição do projeto Nívea Viva homenagearia o maestro Antonio Carlos Jobim e que a escolhida para cantar as canções de Tom seria Vanessa da Mata. Assim, no primeiro semestre, Vanessa realizou uma turnê por seis capitais brasileiras, com shows gratuitos, divulgando a obra e o talento do mestre Tom Jobim. Em julho, foi lançado o disco com as principais músicas da turnê, o qual é o tema da postagem de hoje. Trata-se de um disco simples, mas genial. Traz uma cantora que mergulhou neste mundo musical criado por Tom Jobim e que conseguiu extrair na essência o que o maestro gostava tanto em sua obra: o Brasil. O Brasil do amor, da natureza, da alegria. E a Vanessa soube muito bem mostrar a todos o seu imenso talento, com a responsabilidade de cantar e encantar a todos com a magia de Tom Jobim. E conseguiu com este disco reunir, sob sua interpretação belíssima, 16 grandes clássicos da música de Tom Jobim. É claro, ficaram de fora inúmeros sucessos do maestro, como "Águas de Março", "Luiza", "Chega de Saudade" (em parceria com Vinicius de Moraes), "Ela É Carioca" (em parceria com Vinicius e Gilbert), entre tantos outros. Mas mesmo assim, o disco é incrível, um registro inesquecível que a matogrossense Vanessa da Mata deixou de sua releitura à obra do eterno maestro Antonio Carlos Jobim.  


1- Caminhos Cruzados (Antonio Carlos Jobim / Newton Mendonça)
2 - Fotografia (Antonio Carlos Jobim)
3 - Só Danço Samba (Antonio Carlos Jobim / Vinicius de Moraes)
4 - Este Seu Olhar (Antonio Carlos Jobim)
5 - Chovendo Na Roseira (Antonio Carlos Jobim)
6 - Por Causa de Você (Antonio Carlos Jobim / Dolores Duran)
7 - Eu Sei Que Vou Te Amar (Antonio Carlos Jobim / Vinicius de Moraes)
8 - Desafinado (Antonio Carlos Jobim / Newton Mendonça)
9 - Sabiá (Antonio Carlos Jobim / Chico Buarque)
10 - Dindi (Antonio Carlos Jobim / Aloysio de Oliveira)
11 - Wave (Antonio Carlos Jobim)
12 - Só Tinha de Ser Com Você (Antonio Carlos Jobim)
13 - Falando de Amor (Antonio Carlos Jobim)
14 - Samba de Uma Nota Só (Antonio Carlos Jobim / Newton Mendonça)
15 - Correnteza (Antonio Carlos Jobim / Luiz Bonfá)
16 - Estrada do Sol (Antonio Carlos Jobim / Dolores Duran)

5 comentários:

  1. Gostava de ouvir,adoro o Tom Jobim ,mas não conheço a interpetação da Vanessa da Mata

    ResponderExcluir
  2. Gostava de conhecer a interpretação da Vanessa da Mata ,a cantar Tom Jobim

    ResponderExcluir
  3. Uma grande artista revendo a obra de um mestre.

    ResponderExcluir